Prefeito fala sobre sua gestão e medidas administrativas, no Programa “Primeira Hora”

Prefeito Maurílio Azambuja concede entrevista no programa "Primeira Hora" da Rádio Cidade _ José Alfredo

 

Questões relacionadas às medidas administrativas de contenção de despesas e as ações que são desenvolvidas por sua administração deram o norte à entrevista que o prefeito Maurílio Ferreira Azambuja (PMDB) concedeu na manhã desta quarta-feira ao radialista Rudimar Lautert e o jornalista Jota Menon, no programa “Primeira Hora”, da Rádio Cidade Maracaju.

Muito à vontade, o prefeito permaneceu por quase uma hora no ar e aproveitou o espaço para responder perguntas de dezenas de moradores de bairros como a Vila Juquita, Fortaleza, Geazoni, Paraguai, distrito de Vista Alegre, entre outros.

Os principais temas da entrevista relacionavam-se às medidas administrativas adotadas para fazer frente à permanente diminuição de repasses institucionais ao município. Uma das medidas foi a demissão de 55 servidores públicos contratados. O prefeito também anunciou o corte de 10% nos salários dos médicos e dos secretários municipais.

As medidas, segundo explicou Maurílio Azambuja, são necessárias porque o município tem arrecadado o mesmo valor que arrecadava em 2015. “Enquanto o número de estudantes aumentou de pouco mais de 4 mil alunos para quase seis mil, a população cresceu, os serviços na área de saúde aumentaram, a arrecadação vem caindo drasticamente” explanou.

Para evitar o colapso financeiro, o prefeito optou por adotar as medidas de contenção de despesas, mas garantiu que, assim que houver uma reação econômica positiva, as medidas poderão ser revistas.

Durante a entrevista o prefeito garantiu que todas as obras em execução serão concluídas, inclusive o terminal rodoviário que deverá ter as obras retomadas a partir deste mês. “A rodoviária e o centro cultural serão concluídos e serão entregues para uso da população como já aconteceu com o Centro Olímpico, onde vemos, com satisfação, a maciça utilização por parte da população todos os dias, em especial nos fins de semana” disse.

O prefeito respondeu todas as perguntas de ouvintes da Rádio Cidade, a maior parte delas questionando sobre pavimentação asfáltica, recuperação da malha viária e construção de novas unidades habitacionais. Neste último caso, o prefeito enfatizou que a prefeitura tem disponível um total de 300 terrenos para serem doados, como contrapartida, aos governos da União e do Estado para a construção de casas populares. “A construção de novos conjuntos habitacionais depende da política habitacional dos governos federal e estadual” explicou.

Na entrevista o chefe do Executivo Municipal ainda abordou o apoio que tem recebido do governo de Reinaldo Azambuja (PSDB) e, principalmente, da bancada federal. Sobre a atuação de deputados federais e senadores em favor de Maracaju, ele destacou que Geraldo Resende (deputado federal do PSDB/MS) tem sido grande repassador de emendas para o município e relacionou, ainda, como grande parceiros de sua administração, os senadores Moka e Simone Tebet (ambos do PMDB) e os deputados federais Carlos Marun (PMDB) e Tereza Cristina Corrêa da Costa (PSB). “Temos alguns parlamentares que se destacam, mas, de maneira geral, toda a bancada federal tem nos auxiliado em Brasília” disse.