Pelo menos 300 sazonais da Tonon devem se juntar, ainda nessa semana, aos 500 demitidos da Biosev

 

Maracaju pode ganhar, até o final desta semana, mais 300 desempregados. É que, segundo informações extraoficiais, a Tonon Bionergia, que administra a usina de açúcar e álcool na região de Vista Alegre, deve demitir nesta semana pelo menos 300 trabalhadores que atuam sob o sistema de contratação temporária.

Na semana passada, sem mais delongas, a Biosev Bionergia, que controla a Usina Maracaju, na região da Água Fria, anunciou a paralisação do setor industrial da usina e anunciou a demissão em massa de cerca de 500 trabalhadores.

No caso da Usina MR (Biosev), a demissão inclui sazonais e efetivos, uma vez que todo o processo de industrialização foi paralisado e passou a ser efetuado pelas usinas Passa Tempo e Rio Brilhante, no município de Rio Brilhante.

Já a questão da Tonon refere-se, inicialmente, apenas aos trabalhadores sazonais, ou seja, aqueles que são contratados por tempo determinado. Quando terminam esses contratos, os trabalhadores podem ser efetivados ou demitidos. Normalmente, a direção da usina opta pela segunda opção e volta a contratar novamente no ano seguinte.

Informações de familiares de trabalhadores da Usina Tonon dão conta de que muitos destes trabalhadores terão de se mudar de Maracaju, porque, devido às mudanças na legislação, os trabalhadores com contratos temporários não têm mais direito ao seguro-desemprego. “E como o desemprego está grande em Maracaju, certamente esses trabalhadores demitidos terão de procurar outra ocupação para poderem cumprir seus compromissos e, em especial, custear as despesas com seus familiares” disse a esposa de um funcionário que estaria na lista dos prováveis demitidos.