Palestra leva programa de “BPF” à produtores do Assentamento Santa Guilhermina.

O "BPF" é uma exigência legal regulamentada pela legislação brasileira, composta por um conjunto de princípios e regras para o correto manuseio de alimentos. Fotos: Paulo Roberto Banczek.

No último dia 23 de março, a Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Meio Ambiente, através do Serviço de Inspeção Municipal de Produtos de Origem Animal (SIMM), representado pelo Médico Veterinário – Coordenador Tiago D. Pazza Corrêa, e a Secretaria de Saúde do Município, representada pelo Médico Veterinário do Departamento de Vigilância Sanitária Municipal – Waugles Junior, estiveram no Assentamento Santa Guilhermina para uma Palestra de Capacitação dos produtores de frango que atuarão no Mini Abatedouro que está sendo instalado nas dependências do assentamento.

A equipe esteve no Assentamento Santa Guilhermina para uma Palestra de Capacitação dos produtores de frango que atuarão no Mini Abatedouro que está sendo instalado nas dependências do assentamento.

A palestra teve como tema: “As Boas Práticas de Manipulação e Fabricação” (BPF), que é uma exigência legal regulamentada pela legislação brasileira, onde é composta por um conjunto de princípios e regras para o correto manuseio de alimentos, tendo como objetivo fundamental instruir e qualificar os manipuladores do Mini Abatedouro.

O programa de BPF é divido nos seguintes itens: Instalações industriais, pessoal, operações, controle de pragas; controle da matéria-prima, registros, documentação e rastreabilidade.

Além das questões que envolvem a qualidade dos alimentos, as BPF possibilitam um ambiente de trabalho mais eficiente, contribuindo para a eficácia do processo de produção. São necessárias para controlar possíveis fontes de contaminação cruzada e para garantir que o produto atenda as especificações de identidade e de qualidade, cuja efetividade deve ser analisada por inspeções.

As capacitações são de extrema importância para que, após finalizado o Mini Abatedouro, os produtores do assentamento, possam registrá-lo no SIMM, para que assim consigam a certificação de qualidade de seus produtos, podendo integra-los à merenda escolar e  comercializá-los no mercado como um produto inspecionado.

Narcizo Corpes – Paulo Roberto Banczek/Ascom.