Na Rádio Cidade, comandante da PM confirma queda nos índices de violência

Jota Menon, tenente-coronel PM Juracy Pereira e Rudimar Lautert _ Mari Lima

 

O tenente-coronel PM Juraci Pereira, comandante da 2ª Companhia Independente de Polícia Militar, com sede em Maracaju, confirmou, em entrevista ao Programa “Primeira Hora”, da Rádio Cidade que, felizmente, os números da violência vêm sendo reduzidos gradativamente.

Ele trouxe em mãos, gráficos que mostram dados importantes sobre a redução dos índices da violência, como o caso específico dos roubos praticados contra estabelecimentos comerciais. Neste item, os gráficos elaborados pelo Sigo (Sistema de Informações Gerais de Ocorrências)  mostram que de janeiro a julho de 2016 houve o registro de 14 ocorrências, numa média de 2 ocorrências por mês e que caíram para seis no mesmo período desse ano, menos de uma ocorrência a cada 30 dias.

Porém, se há muitos fatos para se comemorar, há também as notícias ou números ruins. Os casos de violência doméstica aumentaram consideravelmente no período, apesar de todas as campanhas que são desenvolvias no Brasil. Pelos registros do Sigo, entre janeiro e julho de 2016 foram registrados 105 casos de violência envolvendo famílias. Esse número saltou para 147 neste ano, um aumento de 40%.

Porém, no cômputo geral, apenas a violência doméstica aumentou. Todos os demais itens elencados no gráfico da Polícia Militar ou mostra queda nas ocorrências ou, no máximo, que os índices se mantiveram.

Tenente-coronel PM Juracy Pereira e o radialista Rudimar Lautert, na Rádio Cidade

Durante quase meia hora o comandante da PM falou a respeito das ações da Polícia Militar que tem atuado lado a lado com a população, contando, inclusive com o Conselho Municipal de Segurança Pública e agindo sempre em parceria com a Polícia Judiciária (Civil), o Corpo de Bombeiros, Poder Judiciário, Ministério Público, Defensoria Pública e agentes públicos da administração municipal e da Câmara de Vereadores.

VARIAÇÃO – De acordo com os registros da Secretaria de Segurança Pública, de janeiro a julho de 2016 foram registrados os seguintes casos em  Maracaju: homicídio doloso, 6; homicídio culposo no trânsito, 4, lesão corporal seguida de morte, 0; roubo seguido de morte, 0; violência doméstica, 105; roubo, 30; furto, 225; roubo de veículo, 4; roubo em residência, 1; roubo a estabelecimento comercial, 14; furto em residência, 73, e furto de veículo, 36. Total, 498 ocorrências.

Em comparativo, de janeiro a julho desse ano, houve o registro de 5 homicídios dolosos, redução de  16,7%; homicídio culposo no trânsito, 2, redução de 50%; lesão corporal seguida de morte, 0; roubo seguido de morte, 2; violência doméstica, 147, aumento de 40%; roubo, 27; redução de 10%; furto, 190, redução de 15,6%; roubo de veículo, 3, redução de 25%; roubo em residência, 1, mesmo índice do período anterior; roubo a estabelecimento comercial, 6, redução de 57%; furto e,m residência, 71, queda de 2,7% e furto de veículo, 20, redução de 44,4%. Total, 474 ocorrências, uma redução de 4,8% em relação ao ano passado.

BATALHÃO – Uma excelente notícia que o comandante da 2ª CIPM deu à população de Maracaju é no sentido de transformação da Companhia Independente em Batalhão, uma antiga aspiração da sociedade maracajuense.

Como se sabe, além de comandar as ações da segurança pública no âmbito da PM em Maracaju, o tenente-coronel Pereira também é responsável pelo policiamento de Nova Alvorada do Sul e Rio Brilhante. Somando-se as populações dos três municípios tem mais de 80 mil habitantes, atendidos por uma companhia independente.

Com a elevação do comando local para o status de Batalhão, aumenta-se o efetivo e se passa a oferecer melhores condições a todos os policiais, desde os praças até o alto oficialato. “A elevação de categoria nos beneficia com o aumento de efetivo, um maior número de oficiais, mais equipamentos, enfim, poderemos até formar novos policiais aqui mesmo em Maracaju” esclareceu o oficial.

O processo para a elevação da CIPM para Batalhão, segundo Juracy Pereira, está em andamento em Campo Grande e há grande expectativa de a medida ser adotada ainda no atual exercício administrativo.

APOIO DA COMUNIDADE – Durante a entrevista, o comandante da 2ª CIPM abordou diversos temas como o efetivo policial disponibilizado para atender Maracaju, Rio Brilhante e Nova Alvorada do Sul; frota e equipamentos e em especial o apoio que o setor de segurança pública como um todo tem da população e das autoridades políticas municipais.

“O apoio da comunidade, da Prefeitura, da Câmara Municipal é algo fenomenal” sintetizou coronel Pereira. “Não temos como não registrar e agradecer sensibilizado o apoio da comunidade maracajuense. Apoio que vem da população, da prefeitura, da Câmara, Poder Judiciário, Ministério Público, organismos da sociedade organizada”.

Na atualidade, segundo o comandante, a PM está bem estruturada, possui viaturas novas; o motopoliciamento está bem montado e, graças ao apoio da sociedade como um todo, a PM não tem problemas como a falta de combustível e outros probleminhas mais que no passado inviabilizavam uma presença mais constante da polícia em todas as regiões da cidade. “Hoje o policial tem seu colete, sua pistola, equipamentos novos. Nós estamos bem servidos, hoje, para poder melhor servir à comunidade”.

FEIJOADA SOLIDÁRIA – Ao falar do apoio da sociedade à PM, o tenente-coronel Pereira fez uma rápida abordagem sobre a realização da Feijoada Solidária, organizada pelo Conselho Municipal de Segurança Pública formado pelas três forças policiais (Civil, Militar e Bombeiros); Ministério Público, Poder Judiciário, Poder Legislativo, Poder Executivo e OAB.

O evento arrecadou mais de R$ 54 mil, dos quais uma parcela foi repassada para a Casa da Criança e o restante vem sendo utilizado pelas forças de segurança para efetuar pequenos reparos em viaturas e até mesmo para aquisição de câmeras para serem instaladas em pontos estratégicos da cidade. “O objetivo alcançado pela Feijoada Solidária é consequência desse engajamento da sociedade nas ações que dizem respeito à segurança de todos em maracaju” finalizou o coronel.