Ministro Gilberto Kassab assina migração da RCM para FM na segunda-feira em Campo Grande

O ministro das Cidades, Gilberto Kassab, participa de audiência pública na Comissão de Desenvolvimento Urbano para prestar informações sobre obras do Programa de Aceleração do Crescimento (Marcelo Camargo/Agência Brasil)

 

 

A Rádio Cidade Maracaju cumprirá o último protocolo na próxima segunda-feira para iniciar o processo definitivo de migração da faixa de AM para a de FM. Será em Campo Grande, em solenidade a ser conduzida pelo ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab e que reunirá representantes de empresas de radiodifusão de Mato Grosso do Sul e de Mato Grosso.

O ato faz parte do mutirão da migração do rádio AM para FM que ocorrerá em uma cerimônia de assinatura do termo aditivo de adaptação da outorga que vai reunir emissoras do Mato Grosso e do Mato Grosso do Sul. Ao todo, 66 rádios dos dois estados solicitaram a mudança de faixa. De acordo com o MCTIC, 19 destas emissoras ainda possuem exigências a serem cumpridas.

O ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), Gilberto Kassab, o presidente da Associação de Emissoras de Radiodifusão do Mato Grosso Sul (AERMS), Rosário Congro Neto, o presidente do Sindicato das Empresas de Rádio e Televisão no Estado do Mato Grosso, Diógenes Fagundes, o presidente da Associação Mato-Grossense das Emissoras de Rádio e Televisão (AMERT), Moisés Braz de Proença, e o diretor de Rádio da ABERT, André Cintra, participarão da solenidade.

A Rádio Cidade Maracaju já cumpriu todas as formalidades para iniciar o processo de migração e, assim que concluir a construção da torre no bairro Alto Maracaju, passará a operar na faixa de 104,3 mHz com potência inicial de 10 mil watts. A RCM recebeu  autorização do Ministério das Comunicações para operar com 50 mil watts de potência, porém, a direção da emissora optou, inicialmente, a migrar para faixa de FM operando com 10 mil watts de potência.

MIGRAÇÃO PELO PAÍS – No Brasil, cerca de 550 emissoras já assinaram os termos aditivos da migração. O MCTIC vem realizando uma maratona pelo país para finalizar a primeira fase do processo. A expectativa é que até o fim de 2017, as rádios tenham concluído a migração.

“Até 17 de dezembro não haverá mais nenhuma rádio para fazer a migração. Após isso, vamos analisar com a Anatel para reexaminar o espectro de frequência e ver se tiramos algumas emissoras da faixa estendida. Depois, faremos um enorme e último mutirão antes da faixa estendida”, destacou a secretária de Radiodifusão, Vanda Jugurtha, em visita à ABERT.

O MCTIC já passou pelos estados de Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Paraná, Minas Gerais, Goiás, Tocantins, São Paulo e Paraíba. O primeiro grande mutirão aconteceu em Brasília (DF) e reuniu 240 radiodifusores de todo o país no Palácio do Planalto, em 7 de novembro de 2016, quando é comemorado o Dia do Radialista.

Das 1.781 emissoras de rádio AM existentes no país, 1.439 solicitaram a mudança e 1050 já foram contempladas com o canal na faixa de FM. As demais emissoras irão migrar após o desligamento da TV analógica, quando serão liberadas as faixas 5 e 6, hoje ocupadas pelas TVs.