Ministro da Saúde diz que deixará o cargo, mas não define data

O ministro da Saúde, Ricardo Barros, durante entrevista - Erasmo Salomão/Ministério da Saúde

Ricardo Barros tentará reeleição como deputado federal

 

Eduardo Barreto

O Globo

BRASÍLIA — O ministro da Saúde, Ricardo Barros, confirmou que deixará o cargo para disputar a eleição, mas não definiu uma data para sua saída do governo. Ministros que quiserem se candidatar têm até 7 de abril para deixar os cargos. Em balanço das atividades do ministério nesta quinta-feira, Barros (PP-PR) disse que tentará reeleição pela Câmara.

— Eu saio para disputar a eleição. Vou concorrer à eleição como deputado federal e fico no ministério até a data que o presidente me solicitar, desde que seja até 7 de abril, porque eu preciso me descompatibilizar. Se o presidente pedir, meu cargo está sempre à disposição — afirmou Barros, quando perguntado se concorreria ao pleito.

Na última semana, dois ministros pediram demissão alegando intenção de participar da campanha eleitoral: Ronaldo Nogueira (PTB-RS), do Trabalho, e Marcos Pereira (PRB-SP), da Indústria e Comércio. A expectativa é que mais de dez ministros saiam para disputar eleições até abril.