Maestro que criou versão sinfônica de álbum do Los Hermanos fala sobre sucesso do projeto

Quem é fã de Los Hermanos é fã de carteirinha. Não existe quem goste um pouquinho, ou quem não goste um poucão. Existe quem ama Los Hermanos e quem odeia. Existe quem canta os singles no karaokê e quem faz uma orquestra em homenagem à banda. Achou a comparação exagerada? Então, se liga: a Orquestra da Petrobrás resolveu criar a versão sinfônica do álbum Ventura, de 2003.

Tudo começou com a ideia de renovar. A Orquestra é bem conhecida pelos projetos clássicos realizados, além das apresentações nas comunidades. Mas, segundo o maestro Felipe Prazeres, o lance era renovar o público, captar mais gente para o mar infinito que é a música clássica.

— A gente, há tempos, queria fazer uma frente mais eclética da Petrobrás Sinfônica, que se comunicasse com o público de forma menos tradicional.

Foi da necessidade de acompanhar o universo das novas gerações que surgiu o projeto Álbuns, que consiste na recriação de grandes discos em formato sinfônico — Felipe disse que será um álbum por ano. O gostinho de quero mais que o fim do Los Hermanos deixou aos fãs foi temperado pela Orquestra, que se surpreendeu com a aceitação do público:

— Escolhemos Los Hermanos porque, apesar de a banda não existir mais, há milhares de fãs que continuam fieis ao grupo. A reação dos integrantes foi a melhor possível. Eu não conhecia o álbum muito bem, mas já tinha notado que Los Hermanos foge do tradicional: é possível ouvir tubas, trombones, trompetes, e outros instrumentos de orquestra nas músicas dos caras. Então foi bem legal fazer a adaptação.

Primeira apresentação

Na primeira vez que a orquestra apresentou o Ventura Sinfônico, Felipe se surpreendeu: isso porque o público começou a cantar tão alto e em coro, que a sinfonia se transformou em um belo tributo.

— Como o idealizador do projeto não descaracterizou a melodia, todos conseguiram acompanhar. O coral aconteceu e foi muito especial.

Não ter descaracterizado a música foi essencial para que o projeto vingasse. No entanto, segundo Felipe, foi a parte mais difícil de executar:

— Para [executar] uma orquestra sinfônica, estamos acostumados com o público em silêncio. Aqui, tudo é um grande mistério. Nos perguntamos o tempo todo o que vai rolar no próximo [show]. A nossa principal descoberta foi que fazer uma orquestra com o público cantando é um grande tesão.

A próxima empreitada do Álbuns é o lendário Thriller, do rei do POP Michael Jackson. Imaginem só….
Orquestra da Petrobrás apresenta Ventura Sinfônico em São Paulo no fim de semana.

Fonte: Talyta Vespa, do R7