Liminar que autoriza ‘cura gay’ ganha destaque na mídia internacional

Jornal-britânico-The-Guardian-foi-uma-das-mídias-que-repercutiram-decisão-sobre-terapias-de-reversão-sexual-Reprodução.jpg 20 de setembro de 2017

Sites de países como França, Reino Unido e Itália enfatizam ‘retrocesso’

 

POR O GLOBO

20/09/2017 11:11 / atualizado 20/09/2017 12:09

RIO — A decisão da Justiça Federal do Distrito Federal que libera psicólogos no Brasil para oferecer terapias de “reversão sexual”, permitindo que a homossexualidade seja tratada como uma forma de doença, ganhou destaque na imprensa internacional.

No Reino Unido, jornais e sites como “The Guardian”, “Daily Mail”, “Metro” e “The Independent” abordaram o assunto em matérias que frisaram o retrocesso provocado pela liminar.

“O Brasil deu um passo para trás com relação aos direitos LGBT hoje, depois de re-legalizar a ‘cura gay’, afirmou o jornal “Metro” em uma matéria nesta quarta-feira. Já o “Daily Mail” entrevistou o vereador carioca David Miranda (PSOL), que afirmou que o país está “sofrendo com uma onda conservadora”.

O-jornal-britânico-Daily-Mail-foi-um-dos-que-repercutiu-a-cura-gay-Reprodução.jpg
20 de setembro de 2017

A emissora BBC, também no Reino Unido, citou os protestos de celebridades nas redes sociais contra a medida, incluindo publicações das cantoras Anitta e Ivete Sangalo. Além delas, também citadas pelo site britânico “The Independent” e pelo jornal italiano “Diario Del Web”, diversos famosos abordaram o tema de forma crítica em seus perfis na internet.

BBC-citou-protestos-de-celebridades-brasileiras-que-estão-contra-a-decisão-que-autoriza-psicólogos-a-oferecerem-terapias-de-reversão-sexual-Reprodução.jpg
20 de setembro de 2017

O site alemão “Mannschaft” foi além da liminar e informou os leitores também sobre a polêmica envolvendo a exposição de arte contemporânea Queermuseu — Cartografias da Diferença na Arte Brasileira.

Além da liminar que autoriza psicólogos a oferecerem terapias de reversão sexual, site alemão citou a exposição Queermuseu – Reprodução

“Apenas uma semana antes, um banco teve que encerrar uma exposição de arte homossexual após protestos de grupos cristãos de direita e evangélicos. O julgamento agora feito levanta receios de que o progresso conquistado até agora possa ser arruinado”, registrou o Mannschaft.

O site francês Franceinfo ressaltou manifestações contrárias à decisão do juiz nas redes sociais, com a utilização da hashtag “cura gay”, que configurou entre os assuntos mais comentados no Twitter nesta terça-feira. Muitos internautas protestaram contra a medida por meio de comentários irônicos.