Jô admite gol com o braço, mas nega intenção de enganar arbitragem

Jô se envolveu em polêmica - Daniel Augusto Jr. / Daniel Augusto Jr./Corinthians

Atacante diz que só percebeu a infração ao rever as imagens, já em casa

 

Pivô da polêmica do último fim de semana, o atacante Jô, do Corinthians, reconheceu que o gol da vitória sobre o Vasco, no domingo, foi ilegal. O vice-artilheiro do Campeonato Brasileiro usou o braço para balançar a rede, mas negou que o tenha feito intencionalmente.

— Quem me conhece sabe que sou uma pessoa só. Não tenho duas personalidades. Quando cheguei em casa e vi a imagem, pude ver que a bola realmente tocou no braço. Quero deixar claro que em nenhum momento quis trapacear. Os 19 gols que fiz (no ano) foram com suor e dedicação. Então, não faria aquele gol com qualquer intenção — defendeu-se.

Jô garantiu ainda que só teve consciência do movimento quando reviu as imagens da partida e, por isso, não se acusou no momento:

— A imagem (mostra que) tocou no braço, não tem como mentir. A minha intenção não foi fazer fazer qualquer coisa errada. Eu tenho caráter. Tenho sido exemplo graças à minha mudança (de comportamento). Se eu tivesse convicção, eu falaria (na hora).

Desde o episódio protagonizado por Jô, torcedores têm feito comparações com a atitude de Rodrigo Caio, que admitiu, justamente em um confronto do São Paulo contra o Corinthians, que uma falta marcada pela arbitragem a seu favor não havia acontecido. O atacante do Timão tentou se justificar:

— Assim como eu aplaudi a atitude dele, talvez a maioria das pessoas gostasse de ver a mesma coisa (de mim). Mas foi uma situação diferente. Eu sou atacante, quero fazer o gol. Estávamos num momento difícil na partida, eu me atirei na bola.

Por conta de toda essa polêmica, a CBF antecipou os testes com árbitros de vídeo, que estavam previstos para acontecer apenas nas últimas rodadas do Brasileiro. Ainda não há data fixada, mas é possível que a mudança seja colocada em prática já nas partidas do fim de semana. Alessandro, dirigente do Corinthians, aprovou a novidade:

— Eu vejo como (algo) positivo. Tudo o que gerar polêmica e forem tomadas atitudes benéficas para melhorar o Campeonato Brasileiro, a gente fica muito feliz. Não vai ser a primeira polêmica. Se for para credenciar o nosso campeonato, tornando-o maior do que ele está, apoiamos e nos colocamos à disposição para ajudar.