Há 4 anos, no mesmo lugar, foto registra uma das imagens mais lindas do outono

Há 4 anos, no mesmo lugar, foto registra uma das imagens mais lindas do outono

Em 2014, depois de uma sessão de fotos no Bairro Itanhangá, Helder Pirani passava pela Avenida Ricardo Brandão, no cruzamento com a Rua dos Vendas, quando resolveu parar e registrar uma das paisagens mais lindas do outono em Campo Grande.

Apesar do tempo fechado, com a chuva prestes a cair, ele arriscou e garantiu uma super imagem: o córrego iluminado sob o sol do fim de tarde, com as águas rosadas pelo reflexo das flores das paineiras que emolduram cacheadas esse trecho da cidade entre os meses de março e abril.

“Quando terminei, caiu um temporal. Cheguei em casa, tratei a foto e o céu ficou incrível, super colorido”, lembra. Desde então, a experiência virou ritual desta época do ano. Quando ele falha, os amigos, cobram. “Neste ano, choveu na Sexta-Feira Santa, então tive de fazer na semana posterior, daí o povo cobrou porque não tinha postado no Facebook”, comenta Helder.

Lá se vão 4 anos de relação com a paineiras, as árvores floridas que dividem com os ipês a afetividade em Campo Grande e fizeram de Helder um fotógrafo conhecido. “Aquela foto me projetou como profissional. Teve mais de 10 mil compartilhamentos nas redes sociais. Até o governador e o prefeito compartilharam em 2014”, conta.

Em 2015 veio a segunda, e muitos pedidos pela imagem original. “Resolvi então vender, mas não por dinheiro. Troquei por cestas básicas e entreguei para o centro espírita que frequento. Recolhi 22 cestas”, contabiliza.

Como a foto hoje é um ritual, o endereço e o ângulo são sempre exatamente os mesmos, apenas luz e técnica mudam, garante ele. Mas com o tempo, Helder foi verificando algumas alterações na paisagem. “No ano passado, por exemplo, percebi muita sujeira no local e o cheiro do córrego bastante forte. Felizmente, este ano melhorou a limpeza. Mas tenho percebido que as paineiras têm perdido a força”, observa preocupado.

Veja os registros de Helder feitos nos últimos anos na Ricardo Brandão:

Fonte: Campo Grande News