Em visita ao Showtec, Moka diz que Maracaju não pode ser preterido de ramal da Ferroeste

Senador Moka (MDB) concedendo entrevista à Rádio Cidade Maracaju - Maracaju Hoje

 

 

O senador Waldemir Moka (MDB) visitou a Fundação MS na manhã desta sexta-feira, onde foi recepcionado pela direção da entidade organizadora da 22ª edição do Showtec, pelo prefeito Maurílio Azambuja (MDB), secretários municipais e lideranças do agronegócio.

Durante sua estada nas dependências da feira, Moka foi entrevistado pela equipa da Rádio Cidade ocasião em que afirmou ser inconcebível que o município de Maracaju seja preterido do ramal da Ferroeste que ligará Dourados ao porto de Paranaguá, no Paraná, otimizando o escoamento de grãos destinados à exportação para países da Ásia e Europa.

O senador emedebista afirmou que, de Brasília, acompanhará todas as gestões que estão sendo envidadas pelo prefeito Maurílio e pelo governador Reinaldo Azambuja (PSDB) no sentido de que, no projeto ferroviário, seja incluído um ramal saindo de Maracaju e atingindo Dourados, de onde partiria a ferrovia pelo projeto original. “Deixar Maracaju fora deste grande projeto seria a maior injustiça, haja vista que se trata do município maior produtor de grãos do Estado, além de grande difusor das mais avançadas tecnologias de produção” afirmou.

O senador Moka com o prefeito Maurílio e os dirigentes da Fundação MS e Aprosoja/MS _ Maracaju Hoje

SHOWTEC – Moka teceu elogios à Fundação MS, lembrando que acompanha a feira tecnológica desde as primeiras edições. “A cada ano que se passa a feira se consolida como um dos mais importantes eventos ligados à difusão das mais avançadas tecnologias de produção” disse, acrescentando que, na condição de senador, sempre apoiou os projetos de pesquisas comandados pelos pesquisadores da Fundação MS.

PEC DA PREVIDÊNCIA – O representante de Mato Grosso do Sul no Senado Federal também abordou a questão da reforma da previdência proposta pelo Governo Federal e que está em fase de discussão na Câmara dos Deputados. Para o parlamentar a reforma é extremamente necessária, uma veza que o grande rombo das contas públicas do Estado Brasileiro se encontra no setor previdenciário.

Moka é do pensamento de que a reforma será aprovada na Câmara e enviada para o referendo do Senado Federal. “Talvez não seja a reforma dos sonhos, mas o primeiro passo para adequar o setor previdenciário à nova realidade brasileira” enfatizou.