Condenados mais cinco réus pelo assassinato de ex-policial há 5 anos

A vítima tinha 60 anos, trabalhava como mototaxista e foi morta em uma emboscada, quando chegava em casa, no bairro Osmar Ferreira Dutra

Mais cinco dos 17 acusados pela morte do ex-policial militar Otacílio Ferreira de Oliveira, assassinado a tiros há 5 anos, foram condenados na terceira fase do julgamento realizado ontem (23), em Três Lagoas, distante 338 quilômetros de Campo Grande. O julgamento foi realizado no Fórum da cidade e durou 11 horas.

Foram condenados por diversos crimes, como organização criminosa e homicídio por motivo qualificado e sem chance de defesa da vítima,Thiago Cintas Bertalia ( 6 anos de prisão) Fabrício da Silva Almerindo dos Santos (4 anos de prisão), Ivan Verdugo Maciel (6 anos de prisão), e Fernando Rodrigues Monteiro e Jhonatan dos Santos Avelino (5 anos de prisão cada um).

Otacílio tinha 60 anos e trabalhava como mototaxista. Ele foi morto em uma emboscada por volta das 23h, quando chegava em casa, no bairro Osmar Ferreira Dutra. Ele levou quatro tiros, sendo dois nas pernas e dois na barriga. A vítima foi socorrida, mas morreu na madrugada do dia 7 de março de 2013.

A ordem para a execução, segundo a Polícia Civil, veio do comando dos estados de São Paulo e Paraná e foram repassadas ao grupo pelo presidiário da Máxima, Marcos Barbosa, 36 anos, conhecido como ‘Pinduca’. Determinação, esta, que serviria para demonstrar a força da facção.

O último julgamento ocorrerá no dia 30, quando serão julgados Luis Felipe Miranda Rios Saito, Douglas dos Santos Almeida, Michel Cazeto Ortiz, Ederson Santos de Oliveira, Francolino Teixeira da Silva e Fernando Anselmo dos Santos.

No dia 9, foram condenados Cléverson Messias Pereira dos Santos (39 anos e 5 meses de prisão), Maicon Gomes de Souza (26 anos e 4 meses) e Marcos Barbosa (7 anos e 3 meses). Na segunda fase foram condenados João Carlos Olegário da Silva (34 anos de prisão), Jorge Aparecido dos Santos ( 51 anos de prisão) e Jair da Costa Silva (50 anos de prisão). (Com informações do site JP News)

Fonte: Campo grande News