AÇÃO E REAÇÃO – Movimento iniciado pela Assema tem primeiro resultado positivo: Energisa já trabalha em Maracaju

Jota Menon e Paola Loureiro

 

Os primeiros resultados positivos do movimento encabeçado pelos empresários maracajuenses ligados à Associação Empresarial de Maracaju – Assema – começaram a acontecer na manhã desta segunda-feira, 20 de março, quando a regional da Energisa, empresa concessionária dos serviços de distribuição de energia elétrica no Estado, deu início a uma ação emergencial no sentido de minimizar os problemas enfrentados pelos consumidores especialmente no que se refere às oscilações e quedas de energia.

A ação é fruto das cobranças apresentadas por empresários e pelo prefeito municipal, Maurílio Ferreira Azambuja (PMDB), durante a reunião que aconteceu no dia 10 de fevereiro no Gabinete do Prefeito.

Na ocasião, temas como a queda de energia constante, as oscilações na rede distribuidora, que provocam a queima de aparelhos eletroeletrônicos, a equipe de trabalho reduzida para atuar no município e o preço da tarifa da energia considerado um dos mais caros do país, pautaram a reunião que contou, também, com o apoio da Câmara Municipal representada no encontro pelo presidente da Casa, vereador Hélio Albarello (PMDB).

Do encontro entre o prefeito, empresários, integrantes da Câmara Municipal e representantes da Energisa saiu o compromisso, por parte da empresa prestadora de serviços, de realizar uma ação emergencial no município para resolver pelo menos uma parte dos problemas elencados.

Foi com base nesse acordo que a equipe da Energisa promoveu, na manhã desta segunda-feira, o início dos trabalhos emergenciais em ato realizado na sede do Sindicato Rural e que contou com a presença do prefeito Maurílio Azambuja, do presidente da Assema, empresário Edson Nunes de Souza, dos vereadores Helio Albarello, Toton Pradence (DEM), Vergílio da Banca (PMDB), Jeferson Lopes (PT), Dadá (PSDC) e Robert Ziemann (PSDB) e do secretário de Obras, Thiago Caminha.

De acordo com o responsável pela ação emergencial, Vilson Aparecido Barros de Freitas, inicialmente serão realizados trabalhos de poda de árvore, uma vez que, conforme ele mesmo admite, pelo menos 90% dos problemas na rede de distribuição de energia elétrica são provenientes de contato da vegetação com a fiação elétrica. Além da poda de árvore, devem ocorrer de troca de alguns equipamentos e a realização de reparos técnicos na rede.

Para a realização dessa primeira etapa de serviços, a Energisa estará se valendo de uma frota de 16 veículos especialmente preparados para a execução dos trabalhos que estarão a cargo de 32 homens entre engenheiros, eletricistas e técnicos.

A montagem dessa verdadeira “força tarefa da Energisa” contou com a participação da Prefeitura Municipal que cedeu três caminhões e parte do pessoal para atuar na limpeza das ruas e no recolhimento dos entulhos consequentes das podas de árvore.

A unidade da Agesul local também participa da “força tarefa” cedendo dois caminhões que estarão à disposição das equipes que devem atuar no município pelo período de aproximadamente 10 dias, tempo necessário para a execução dos serviços preestabelecidos para essa primeira fase da ação emergencial.

Falando à Rádio Cidade Maracaju, no programa “Primeira Hora”, o prefeito Maurílio Azambuja afirmou que esta é mais uma parceria positiva que vem de encontro com os anseios da população que está sofrendo com queda constante de energia. “Sei que não é nossa responsabilidade, mas precisamos dar o apoio e ajudar no que for possível para atender  a comunidade. Hoje são mais de15 mil residências existentes em Maracaju. Em síntese, houve um crescimento vertiginoso no âmbito populacional, comercial e industrial e consequentemente no consumo de  energia, mas os investimentos da Energisa foram poucos e não atenderam à real demanda local” afirmou.

O prefeito disse que vai ficar atento e vai continuar cobrando investimentos da empresa “para que a comunidade não seja prejudicada”.

O secretário municipal de Obras, Thiago Olegário Caminha, afirmou que a parceria é o ponto forte da administração do prefeito Maurílio Azambuja. “Nós assumimos esse compromisso junto à Energisa para beneficiar a população de Maracaju e nosso papel será atuar na retirada das sobras das podas e dar a destinação correta a esse entulho” afirmou.

Thiago adiantou que os serviços a serem executados nos próximos dez dias vão gerar alguns transtornos à população, como o desarranjo no trânsito, mas ele pediu paciência à comunidade. “Qualquer transtorno é só entrar em contato conosco na Secretaria de Obras pelo telefone 3454-4040 e estaremos prontos para tentar equacionar os problemas apontados”.

O presidente da Assema, Edson Nunes, acompanhou toda a movimentação ocorrida pela manhã no Sindicato Rural de Maracaju e comemorou o que considera uma vitória da classe empresarial maracajuense já que a ação emergencial iniciada pela Energisa é consequência da pressão exercida pelos associados da Assema que, em sua luta, contaram com o respaldo essencial da administração municipal e da Câmara de Vereadores.